Archive for setembro, 2013


Diversão pra você e seus amigos

Olá meu povo estou aqui de novo, mas hoje pra falar do Nintendo Land, jogo lançado em dezembro de 2012 para a plataforma Wii U.

O que é o Nintendo Land? O jogo é um que mostra um clima de parque de diversões, usando todas as funcionalidades do Wii U e seu GamePad, da mesmo forma que o Wii Sports foi lançado e usando as funcionalidades do Wii Remote. O jogo apresenta 12 minigames com os sucessos da Nintendo. Entre eles temos Mario, Donkey Kong, Zelda, Metroid, Pikmin e outros que logo mais vou descrever.

No início, temos o auxílio do NPC Monita. Um robô com formato de tela que te dá dicas de como jogar, como desbloquear os itens no parque e passo a passo pra usar o Miiverse.

Os jogos são divididos em 4 categorias:

Team Attractions: Existem 3 minigames que podem ser jogados entre 1-5 players. São eles The Legend of Zelda: Battle QuestMetroid Blast Pikmin Adventure.

 Pra mim, um dos jogos mais legais do Nintendo Land. Você pode escolher se quer ser um guerreiro ou um arqueiro. Caso queira ser um arqueiro, você deverá usar o GamePad. Movimentando o GamePad em direção a tela, ela servirá como uma mira, e movimentando para baixo, ele irá recarregar as flechas automaticamente. Já se você quiser ser um guerreiro, você vai precisar do Wii Remote, e ataca fazendo movimentos similares, e pode até bloquear um ataque pressionando o botão B atrás do remote. Nesse minigame você irá passar quest por quest, desbloqueando moedas para o parque, e até Stamps (Vou explicar mais no final o que são essas Stamps).

 Aqui você irá escolher entre voar com a sua nave ou ir andando derrotando seus inimigos na base da luta corpo a corpo. Uma das vantagens desse minigame são as fases diversificadas e o nível que varia bastante de uma fase a outra.  Podendo jogar até 5 jogadores simultâneos, variando entre Assault Mode (o líder com o GamePad assume o controle da Gunship e o restante usa o Wii Remote + nunchuck), Surface to Air (onde o jogador com o GamePad batalha contra os outros que estão com o Wii Remote) e o Ground Combat ( Apenas jogadores com Wii Remote lutarão entre si).

 Pikmin entre os 3 é o mais simples. No Challenge Mode você poderá usar o GamePad, encarnando o Olimar, e caso tenha amigos com o Wii Remote, eles serão os pikmins, havendo um trabalho em equipe. Já o Versus Mode, o objetivo principal é recolher candies, e óbvio, evitando os outros de pegar as candies. Vence o melhor.

Competitive Attractions: Nesse modo, existem 3 minigames, e aqui você não vai poder jogar só. O modo de jogo são 2-5 players, e basicamente todos os 3 minigames tem o mesmo estilo, só que com metas diferentes. Chame alguém por perto pra a diversão ficar completa. São eles: Mario ChaseLuigi’s Ghost Mansion Animal Crossing: Sweet Day.

Mario Chase vai ser aquele minigame que você vai jogar logo de cara. Claro, é o jogo do Mario. Aqui você vai necessitar obrigatoriamente do Wii Remote. Quem estiver com o GamePad, encarnará o Mario e irá se esconder dos “Toads” (players com o Wii Remote) para poder começar a brincadeira. O jogador que irá se esconder usará somente a tela do GamePad para poder correr dos Toads e dos Yoshis que tentarão atrapalhar. Já os jogadores que estarão jogando com os Toads, deverão usar a televisão para poder achar o Mario. E isso tudo tem um tempo pra ser batido. Caso você não consiga capturar o Mario em um determinado tempo, ele vencerá a partida. Quanto mais pessoas jogando, menos Yoshis serão colocados no minigame para deixar o jogo mais legal.

O meu preferido das Atrações competitivas. Pra quem não tem 3DS e não pode jogar Luigi’s Mansion, é uma boa. Não muda muito do Mario Chase, mas aqui você vai ter que achar o fantasma. O jogador que estiver usando o GamePad se tornará um fantasma e deverá evitar as lanternas dos caçadores de fantasmas e das “Monitas” que estarão ali para poder atrapalhar. O jogador fantasma usará o GamePad e os outros o Wii Remote pela televisão. Caso você seja o fantasma, deverá evitar a luz para que ninguém te veja, seja das trovoadas ou das lanternas.Não vacile, você haverá somente 100 de HP. Se for o caçador de fantasma, deverá tomas cuidado, já que o fantasma poderá te pegar também, e você só terá 3 vidas restantes. Para que o jogo fique igual, seu remote irá vibrar quando o fantasma estiver perto do seu Mii. Outra coisa é a bateria da lanterna que desgasta, e quando estiver quase acabando, aparecerá no mapa uma pilha para poder recarregar.

A diferença desse minigame para os outros é que nesse você vai coletar doces que caem das árvores (WTF). É. Você coleta 15 doces e vence, mas caso você for pego, perde um doce. Quem estiver usando o GamePad é o guardião dos doces, onde ele evita que os ladrões levem embora. Já quem usa o Wii Remote, vai fazer o papel dos ladrões. Na minha opinião, o minigame mais fraco do jogo.

Solo Attractions: Acho que o nome já diz tudo. 6 minigames que valem a pena passar o tempo jogando, e é preciso ter paciência e habilidade. São eles: Takamaru’s Ninja Castle, Donkey Kong’s Crash Course, Captain Falcon’s Twister Race, Balloon Trip Breeze, Yoshi’s Fruit Cart Octopus Dance.
 Cada cenário tem um inimigo diferente. Esse jogo é pra aquele que gosta de Ninjas. Você usa o GamePad deitado e atira shurikens em direção a televisão, tentando acertar ninjas, vasos com itens e outros. Quanto mais rápido for seu movimento, mais forte o shuriken será arremessado. Pra recarregar sua munição, basta movimentar rapidamente seu GamePad. Um jogo muito divertido.

 

 

Você jogou o Donkey Kong dos anos 80 que tinha o Mario? Pois então, não tem nada a ver com o jogo original. Meu preferido da atração solo. O cenário é o mesmo, mas aqui você controle tipo um carrinho, mantendo o GamePad da direita pra esquerda equilibrando-o e você utiliza até do sopro no minigame. Desafiador, criativo e divertido. Com certeza esse minigame vai te viciar e tirar bom tempo em frente a TV. Cuidado que o carrinho é frágil e evite bater com força nas paredes, plataformas e outros.

 

 

Outro jogo legal. Colocando o GamePad na vertical, você participará de uma corrida do game F-Zero. Você tem um tempo pra bater, e evitar os obstáculos da pista. Inclinando até 90°, o controle fica uma maravilha. Uma dica: Para diminuir a velocidade e evitar bater nos obstáculos, só tocar na tela do GamePad.

 

 

 

Joguei pouco esse, e a meta desse jogo é você usar o Stylus para controlar seu personagem pelo cenário, além do vento, destruir obstáculos e derrotar inimigos. Uma desvantagem é que é necessário ficar de olho no GamePad e na TV ao mesmo tempo, o que cansa bastante. Um segundo jogador pode participar destruindo os blocos com o Wii Remote e ajudar o jogador principal.

 

 

E por último, Yoshi’s Fruit Cart. Outro minigame divertido que faz você gastar seu tempo, mas é uma pena que seja repetitivo. Nesse minigame você deverá usar o GamePad e fazer um trajeto para o Yoshi comer os alimentos para que não perca energia, e evitar que caia em buracos, além de haver ordens dos alimentos. A cada fase a dificuldade vai aumentando. A tela da TV exibe as frutas, mas a do GamePad não, e você terá que decorar o local das frutas.

 

 

Bom, Stamps são selos que você recebe ao completar determinadas metas dos minigames, tal como passar por fases sem tomar dano, sem errar tiros, ataques, executar uma tarefa em um determinado tempo entre outros. Para receber stamps douradas, você deverá já ter passado por todas as fases e irão aparecer descrições dos objetivos.

Uma das vantagens que eu disse até no post sobre o Wii U, foi a utilização do Miiverse nos jogos. Aqui pessoas do mundo inteiro que estão conectadas , poderão visitar seu parque aleatoriamente. Uma jogada da Nintendo que deu certo até demais. Aqui elas irão deixar mensagens visíveis e durante o minigame, pressionando o botão HOME e entrando no Miiverse, automaticamente entrará na comunidade do Nintendo Land e fará um post com o print feito, deixando alguma mensagem, seja se exibindo que conseguiu passar da fase, enviar para um amigo e outros.

Ao tocar na torre central, você será direcionado a outro minigame muito, mas muito simples que de acordo com a quantidade de Coins que você conseguiu jogando os minigames, é possível desbloquear atrações no seu parque. Quanto mais moedas, mais chances de conseguir uma nova atração

Minigame para desbloquear as atrações do parque.

O objetivo é acertas as moedas nos círculos azuis. Completando todos, será adicionado um bloco (igual a franquia Super Mario) no canto superior e você será direcionado para outra fase. Quando você gastar todas as suas moedas, o minigame será finalizado, voltando para o Plaza (área do parque), e os blocos serão adicionados para desbloquear. Para fazer isso é só dar um clique no bloco e divertir.

 

Minha opinião: Nintendo acertou fazendo esse jogo tanto quanto acertou no Wii Sports e Wii Resort. Um jogo que utiliza todas as funções do GamePad e que vai ficar em alta sempre. É possível jogar só, mas é muito mais divertido jogar com seus amigos, basta ter no estoque alguns Wii Remotes, ou peça para seus amigos emprestado. O preço médio no Brasil desse game é de 99 reais até 150. Já fora, você acha de 19 dólares. Vale a pena deixar ele na sua estante de games para quando a galera quiser jogar algo divertido em grupo, e ainda te ajuda a desbloquear itens para o parque.

Bom, escrevi muito, e espero que tenham gostado. Até a próxima 😀

Anúncios

GOTG_Logos_22_NoDateDepois de várias eras sem escrever nada, aqui estou eu de volta, dessa vez pra falar da mais arriscada e louca empreitada da Marvel para os próximos anos. Esse post é sobre a história do super grupo de heróis espaciais conhecidos como Os Guardiões da Galáxia que está sendo contada nessa nova fase da Marvel, a MARVEL NOW e também vou falar um pouco sobre como que está sendo o processo de adaptação para os cinemas.

foto

Capa do capítulo #0.1

Quero começar o post deixando bem claro que SPOILERS virão pela frente, se você continuar lendo estará pondo a sua conta em risco, sendo que eu resolvi dividir esse post em 4 partes, sendo as 3 primeiras sobre os quadrinhos e a quarta sobre o filme. Com o roteiro do Brian Michael Bendis e a arte do Steve McNiven a série mensal que estreou em abril de 2013 e começa de uma maneira diferente do convencional, como vocês podem ver aqui do lado, a 1ª edição não é a #1 e sim a #0.1 … A série começa com um prelúdio da história, contando como o protagonista se tornou quem ele é.

A história começa numa noite estrelada do Colorado em que a bela moça Meredith Quill avista o que parece ser um caça de guerra cair em sua propriedade e como todo bom americano, saca logo a sua espingarda para averiguar o que aconteceu. Depois de socorrer o piloto e leva lo pra casa, ela descobre que o misterioso homem não é terráqueo, mas sim um alienígena. Ele é J’son da linhagem real do planeta Spartax e que ele estava em uma guerra pelo controle do planeta. Como a sua nave está muito avariada, ele acaba caindo na terra e terá que levar alguns meses para poder consertá-la e poder voltar para a sua guerra. Naturalmente e sem fugir do chiché, eles se apaixonam.

foto (2)

A relação entre J’son e Meredith ao passar dos meses

Depois que J’son volta pro planeta dele para continuar lutando na guerra, Meredith percebe que ele não foi embora sem antes deixar algo na terra com ela…

10 anos depois vemos o pequeno Peter Quill na varanda da sua casa lendo uma revistinha em quadrinho e percebemos que ele nutre um rancor pelo pai (mais que) ausente que ele nunca conheceu. Após voltar da escola depois de uma briga com um bully, Peter se recolhe ao seu quarto, mas algo inesperado acontece. Uma nave aparece em cima da sua casa e 2 alienígenas reptilianos da raça dos Badoons atacam a pobre da mãe dele com 2 tiros certeiros, no que resulta na morte da pobre Meredith. E os alienígenas partem atrás dele para exterminar a linhagem real de Spartax.

Com a espingarda da mãe Peter acerta os Badoons, revelando algo que sua mãe havia escondido no armário, uma pistola esquecida do seu pai. A nave alienígena lança um raio que explode a casa dos Quills restando apenas o garoto e a arma… 20 anos depois vemos o já adulto Peter Quill com o seu bando de vigilantes espaciais: Gamora, a mulher mais perigosa da galáxia; Drax o destruidor; Groot, o alienígena árvore e o Rocket Raccon, o guaxinim mais motherfucker da galáxia.

foto (3)

Os Badoons atacam a casa do Peter Quill – “A linhagem real de Spartax não pode continuar”

Os Guardiões estão em sua nave enquanto o lider Peter, conta a sua história de vida a um convidado muito especial: Tony Stark.. ele mesmo, o gênio, playboy, bilionário e filantropo, também conhecido como o Homem de Ferro. Ele conta a Tony que viveu boa parte da sua vida em orfanatos e casas de adoção, e que quando teve a primeira chance de sair do planeta, ele não e desperdiçou. Se juntou à NASA e foi embora jurando que nada passaria por ele pra fazer mal algum à Terra, nem os Badoons, nem ninguém. Assim começa a nossa história, Tony resolve selar a sua parceria ao grupo enquanto eles navegam pelo espaço.

foto (4)

Capa do capítulo #1

Dias depois Peter vai a um encontro em um bar (a lá Cantina de Mos Eisley) marcado com uma Kree para discutir alguns planos da Resistência. Quando ninguém menos que seu pai, J’son o Rei de Spartax entra no local com os soldados reais e senta em uma mesa com Peter para o informar sobre o futuro do planeta Terra. J’son fala que o Conselho dos Impérios Galáticos (uma espécie de ONU espacial) decidiu que, para a Terra ter uma chance no futuro para fazer parte dessa civilização galática, ela não pode sofrer interferência externa, ou seja, nem Peter, nem seus “amigos desordeiros” podem mais pousar em solo terrestre.

Ele fica indignado com o que o seu pai fala e antes que eles acabem brigando sério, Gamora entra no bar e ataca os soldados que não são nem um pouco páreo para ela.. Peter acaba separando a briga e eles vão embora. Enquanto isso Tony Stark está patrulhando a órbita da terra pensando na sua decisão de deixar o planeta, os Vingadores, e tudo pra trás para proteger o planeta do lado de fora. Quando a sua nova inteligência artificial P.E.P.P.E.R. identifica uma nave Badoon indo em direção à Terra… é hora de agir. Ele tenta atacar a nave, mas seus escudos são muito resistentes e ele não da conta. Quando Peter e os Guardiões da Galáxia aparecem para proteger a Terra do ataque dos Badoons, resultando numa luta espacial épica que acontece entre os alienígenas e os Guardiões.

foto (6)

A nova armadura espacial do Homem de Ferro

Os Badoons tomam uma medida desesperada quando percebem que Drax e o Groot conseguiram penetrar a carcaça na nave. Eles acionam a auto destruição se sacrificando, enquanto desacoplam uma nave menor e a manda em direção à Terra, gerando uma grande explosão. Quando os Guardiões se dão conta, a pequena nave já invadiu a atmosfera terrestre indo de encontro à decisão do Conselho Galático de invadir a Terra… não há nada que eles possam fazer para impedir o ataque. Os Badoons chegam a Londres e começam a destruir tudo a sua volta.

Assim termina o capítulo #1.. prometo que não irei demorar mais tanto assim para escrever mais um post aqui no Overdose, da próxima vez com o capítulo #2 e o #3. Aqui vai um vídeo da Marvel (para os que manjam de inglês) sobre esse capítulo. Pra quem ainda não tá sabendo, tamo com uma fanpage no Facebook, aproveitem e dêem seu like pra ficar de olho quando um novo post aparecer por aqui, até a próxima 😉

Um remake de vez em quando é sempre bom

E aí meu povo, estou aqui mais uma vez, e dessa vez é pra falar sobre a remasterização que a Capcom e a Disney fizeram para o Playstation 3, Xbox 360 e Wii U. Ducktales: Remastered.

O jogo original foi lançado em setembro 1989 nos Estados Unidos e no Canadá para Nintendinho, já para as outras regiões foi lançado um ano depois havendo versões para Game Boy. O estilo é aquele clássico game dos anos 80. Caça ao tesouro e fases e mais fases, alternando o nível de dificuldade.

Você encarna o tio Patinhas, começando com os irmãos metralhas invadindo sua casa/cofre, querendo levar toda a sua fortuna, mas é impedido pelo pato milionário e seus sobrinhos. Ao terminar a primeira fase, o tio Patinhas descobre que pelo mundo (e um na lua) há 5 tesouros espalhados. São eles: a Amazônia, Transilvânia, Himalaia, Minas Africanas e a lua.

Diferença dos gráficos entre o jogo original e o remake.

Os jogos estão disponíveis na PSN e na Live por R$ 30,99, já na Eshop, custa U$ 14,99. Dependendo do país da compra o valor taxado é diferente, no meu caso custou 75 centavos.

Minha opinião: Ducktales remastered é aquele tipo de jogo que você senta (ou deita) e  jogo por umas 2 horas e termina ele. É, ele não é um jogo grande, mas é muito divertido. Aquele jogo clássico da Nintendo pra matar a saudade. Idioma em português, música nota 10, gráfico nota 10, diversão nota 10 e vale muito a pena comprar. Só pra vocês terem noção, o remake foi tão levado a sério, que até a abertura da Capcom foi mantido (igual ao Aladdin).

Bom, é isso. Até mais 😀