Touch nos apresentou um episódio com forte carga dramática. Nesse episódio as histórias paralelas, a que fomos apresentados nos episódios anteriores, foram desenvolvidos e muito bem por sinal, com explicações e resoluções convincentes. O único erro do episódio ficou na resolução do “caso principal”, os roteiristas forçaram a barra para que as “ligações” acontecessem.

Clea quase não apareceu no episódio e sua história precisa ser melhor explicada e desenvolvida, Jake participou ativamente do episódio e Bohm não teve tanto destaque como nos últimos episódios, mas nada que comprometesse o episódio. Enfim, esse foi mais um bom episódio de Touch, afinal ele não foi simplesmente um procedural, mas serviu para desenvolver e explicar pontos da história da série, que ainda pode nos reservar grandes surpresas.

Anúncios