Eu tava um dia na livraria de bobeira e resolvi pegar uns quadrinhos pra ler, a partir daquele momento a minha preciosa vidinha mudou pra sempre … (que clichê)

Lançados originalmente em 6 volumes (aqui no Brasil em 3 compilados) , Scott Pilgrim é uma série de quadrinhos canadense de Bryan Lee O’malley (arte e história) lançada em 2004, que conta a história do cara mais maneiro que existe (… Sério).

Scott Pilgrim é um jovem canadense de 23 anos que não faz mais nada da vida alem de dormir até tarde, praticar baixo de vez em quando com a sua bandinha de garagem e sair periodicamente com sua namoradinha colegial Knives Chau. Ele mora com o seu melhor amigo Wallace Wells, que, apesar de ser gay, não vê o menor problema em dividirem a única cama no apartamento (o.O pois é..). Mas tudo muda quando ele conhece Ramona Flowers, uma americana misteriosa que acaba de se mudar para Toronto e está atualmente trabalhando como entregadora para Amazon. Já sabem o que acontece, né… Ele acaba se apaixonando e o seu mundo vira de cabeça pra baixo, pois ele sabe que não gosta mais da Knives como ele gostava antes..

 

Cena do filme em que Scott foge de Knives, uma das melhores.

Mas a trama da história se desenvolve quando ele descobre que para ficar com Ramona ele terá que derrotar a liga dos ex-namorados do mal, 7 caras que vão fazer de tudo para manter Scott bem longe de completar sua quest: derrotar os 7 chefões e resgatar a princesa. Alem disso tudo, ele ainda tem que lidar com conflitos do dia-a-dia, como procurar um emprego, pagar as contas e resolver situações amorosas.

A obra é repleta de referências à cultura nerd/geek (whatever..), entre elas: Mario, Metroid, Sonic, Star Wars, Dragon Ball.. nem adianta listar porque não termina nunca. Eu particularmente recomendo a todos, pois é algo totalmente diferente de tudo já visto. Se você gosta de quadrinhos, mangás, games, ação, romance e uma ótima história acima de tudo, essa obra foi feita pra você. Em 2010 foi lançado o filme baseado na obra tendo como diretor o Edgar Wright, e como sempre acontece em todo filme, nunca fica tão bom quanto o original. Apesar de terem cortado muitas partes dos quadrinhos, vale a experiência e até que me agradou (afinal temos Michael Cera fazendo seu papel especialista de adolescentezinho).

 

Anúncios